8 itens que vão transformar sua casa em Smart House

 

 


 

Quando falamos de Smart House, provavelmente a primeira coisa que vem em mente é aquela casa enorme, moderna, com móveis e decoração futurista que parece ser fora da realidade da maioria de nós. Mas não é bem assim. É possível deixar a sua casa inteligente sem desembolsar uma fortuna. Selecionamos alguns dispositivos que vão te ajudar.

 


 

 

Mas primeiro, para quem ainda não sabe, vamos explicar o que é uma smart house.

Também chamado de automação residencial, é o uso da tecnologia para automatizar as tarefas diárias da nossa casa para facilitar nossas vidas. Os aparelhos e eletrodomésticos considerados smart são capazes de conectar com a rede wi-fi de sua casa, assim, através da interação entre software e hardware, se comunicam entre si e podem ser controlados à distancia pelo smartphone com os aplicativos que normalmente as fabricantes fornecem.

A lista de objetos que podem ser controlados é grande, podem ser lâmpadas, cortinas, tvs, aparelhos de som, câmeras, alarmes e até mesmo geladeira. Tudo depende, claro, do seu objetivo e o que você está disposto a desembolsar para automatizar e, com nenhuma surpresa, muitos dispositivos possuem um preço salgado, e alguns são difíceis de encontrar no Brasil.

Para aprimorar o conceito de casa inteligente e ter uma experiência mais completa, sem a necessidade de usar vários aplicativos diferentes para monitorar cada aparelho, é possível controlar esses objetos através de uma central/software de gerenciamento onde você unifica as ações.

Algumas empresas de automação residencial possuem os seus próprios aparelhos e sistemas de gerenciamento, mas se você está automatizando por conta própria e não pretende gastar uma fortuna, o que é o foco desse post, existem os smart speakers, que podem gerenciar muito bem seus dispositivos inteligentes. Os mais conhecidos no mercado são o Google Home, Amazon Alexa e Apple HomePod.

Se você está pensando em automatizar a sua casa, nós vamos te ajudar mostrando alguns itens, focaremos nos dispositivos que são compatíveis com o Google Home por ele ser mais fácil de ser encontrado em lojas nacionais e possuir um preço acessível.

 

 


 

 

Google Home Mini

Google Home Mini:

É a versão compacta e mais em conta do Smart Speaker da Google, ele possui o Google Assistente integrado, e como nos smartphones Android, dizendo "Ok, Google" ativa o comando de voz, assim você pode controlar os seus dispositivos inteligentes a distância e sem precisar usar o smartphone(configurando previamente, claro).

É valido lembrar que não faz muito tempo que o comando de voz tem suporte ao português, e nem todos são reconhecidos no idioma, sendo necessário o uso do inglês em alguns momentos. Mas certamente isso vai mudar em breve.

Você encontra Google Home aqui

 

 

 

Philips Hue

 

Philips Hue:

Essas lâmpadas se conectam na rede de sua casa e você pode usar o controle de voz do Google Home.

É possível alem de claro, ligar e desligar, também sincronizar a luzes com a música ambiente, ou com as cores da tela do seu computador, colocar para acender devagar minutos antes do seu despertador tocar fazendo um efeito de nascer do sol, além de várias outras funções. O kit Philips Hue não sai barato, mas existem outras marcas e modelos de lâmpadas inteligentes no mercado.

Você encontra Philips Hue aqui

 

 

 

Roomba 690:

Roomba 690:

Imagine que você está deitado no sofá e lembra que precisa limpar os pelos do gato da sala, e com um simples comando de voz, um robozinho começa o serviço por você, que nem se moveu do sofá. Se desembolsar uns 4000 reais para você não for um problema, esse conforto pode ser seu.

Este aspirador de pó limpa sua casa, através de sensores e mapeamento dos ambientes. Você pode agendar uma limpeza, definir o lugar para limpar entre outras funções.

Você encontra Roomba 690 aqui

 

 

Chromecast:

 

Chromecast:

O Chromecast conecta sua TV com a Internet, fazendo com que fique como uma smart TV. Com ele é possível ver videos no Youtube, assistir filme no Netflix, ouvir musica através do Spotify entre várias outras funções.

Você controla sua TV pelo seu smatphone Android (iOS tem algumas limitações, mas a Apple tem o seu aparelho, o Apple TV), e claro, também controla por voz com o Google Assistente.

Você encontra Chromecast aqui

 

 

Smart plug

Smart plug:

Com esta tomada, você controlar os seus aparelhos que não são "smart".

Ela funciona "cortando" e "liberando" a energia, assim, você pode controlar quando ligar ou não o aparelho plugado a ela, como um abajour ou uma cafeteira. O controle é feito através de um aplicativo para o celular ou por voz, o que é muito cômodo.

Você encontra Smart Plug aqui

 

 

 

Android TV

Android TV:

Caso já tenha em seus planos comprar uma TV nova, por que não uma já com Chromecast embutido?

Com a Android TV vc tem todas as funcionalidades de uma Smart TV com Chromecast, ou seja, tendo o smart hub, você pode apenas "ordenar" para que ela abra o Netflix e passe sua série favorita, por exemplo. Você pode também conectar a TV com outros acessórios via bluethooth, como fones de ouvido ou speakers.

Você encontra Android TV aqui

 

 

 

Câmera IP

Câmera IP:

Uma câmera IP se conecta com a rede wi-fi, assim é possível sem a necessidade de fios, ver o que está sendo filmado pelo smartphone ou computador de onde estiver.

A câmera D-Link DCS-8000LH, possui visão noturna, sensores de movimento e som que te avisam quando detectam algo.

E como todos os itens citados neste post, tem suporte ao Google Assistant, assim, você pode por exemplo apenas dizer que quer ver as imagens da câmera do quintal na sua TV do quarto.

Você encontra Câmera IP aqui

 

 

 

Android TV

Interruptor:

Essa pode ser uma forma mais em conta de controlar sua iluminação.

O interruptor wi-fi permite gerenciar as luzes através do Smartphone, seu funcionamento é parecido com o smart plug, você corta e libera a energia do interruptor à distancia, podendo também programar temporizador. É possível também conectar o interruptor á alguns eletrodomésticos, tornando também automatizados.

Você encontra Interruptor aqui

 

 

 

 


 

Se não incluirmos o Roomba 690 - item bem mais caro em relação aos outros dessa lista, com em média 3500 reais já é possível ter uma boa experiência Smart House ;)

 


 

 

Por: Victor H.

Por que as melhores advocacias escolheram a Tecnolan

 

 

 


 

 

Os advogados trocam diariamente centenas de e-mails, não tiram os olhos da tela do computador. Precisam ler constantemente documentos oficiais, acessar os sites dos tribunais, atualizar processos, entre várias outras necessidades.


Nos bastidores de tudo isto, está uma rede de computadores estruturada e projetada para suportar adequadamente o fluxo de informações, seja com cabos de cobre ou fibras ópticas, também está uma rede elétrica estável, adequada e segura, capaz de garantir a longevidade dos equipamentos e a segurança dos operadores.

O Advogado moderno tem diariamente metas a cumprir, está preocupado com a qualidade, gestão de equipes e resultados. Assim, uma rede de dados e elétrica segura, bem construída e bem dimensionada é um dos fatores preponderantes no sucesso desta atividade empresarial. Especialistas buscam especialistas.

Cuidamos da implantação, mudanças ou expansão das suas instalações. Garantimos uma parceria adequada e serviços de qualidade, prazos e preços que atendam ao seu cronograma e ao seu budget.

Algumas empresas consolidadas do ramo da advocacia já utilizam nossos serviços de projeto e cabeamento, entre elas podemos citar:

Cinque Terre
Forest
Northern Lights
Mountains
Northern Lights

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

 

Por que as empresas mudam?

Felizmente, pelas estatísticas de algumas companhias ligadas a projetos empresariais, em torno de 50% dos motivos de mudança são por crescimento do negócio, necessidade de ampliar o quadro de colaboradores ou por incremento nas atividades empresariais, demandando a expansão da área ocupada.

Mas nem sempre o citado acima é o motivo, algumas empresas buscam redução do custo de locação devido a reajustes não condizentes com o mercado, ou buscam ajustar os valores às suas novas necessidades empresariais e ao fluxo de caixa, ou simplesmente estão reduzindo a operação.

Empresas também mudam com o objetivo de criar novas expectativas, gerar novo fluxo de energia, de atrair novos colaboradores pelas facilidades de acesso ou pela melhoria da imagem que uma nova sede pode proporcionar.

Seja qual for o motivo não é uma missão muito fácil de implementar, requer análises, estudos e principalmente, decisão! Vamos mudar. Mas e agora?

 


 

 

1. Vou precisar de Arquitetura?

Muitos questionam, preciso realmente de um arquiteto no processo de mudança?

A resposta é invariavelmente sim, os profissionais de outras especialidades não possuem a formação que possa maximizar a criatividade, funcionalidade e estética, estão habilitados para gerenciamento de fornecedores da sua obra e para realizarem um projeto na medida do seu orçamento.

Uma obra necessita de vários projetos complementares, e é comum atribuir ao arquiteto a coordenação dos mesmos no processo de mudanças e ou construção.

É um profissional que deve ser contratado desde o início do processo e poderá inclusive auxiliá-lo na prospecção e fechamento do imóvel adequado ao seu projeto.

 

 

2. Vou precisar de Engenheiro?

Um processo de mudança envolve diversas especialidades da engenharia:

Ar Condicionado: É necessária a contratação de profissional especializado para ter um ambiente climatizado de forma eficiente. Uma instalação sem um projeto eficiente poderá acarretar gasto excessivo de equipamentos e consequente energia elétrica ou ter usuários insatisfeitos com o desconforto térmico.

Cabe ao profissional tratar dos aspectos da umidade, renovação do ar, pressão e temperatura ideal desejada, considerando-se o bem estar dos ocupantes e as demais cargas térmicas existentes, falhas nestes aspectos podem deixar o ambiente insalubre.

Proteção contra Incêndio: Para efetiva proteção contra incêndio é necessário um conjunto de medidas, avaliando os riscos e implantando as soluções inerentes, o projeto exige aprovação do corpo de bombeiros visando resguardar o patrimônio e a vida dos ocupantes.

Luminotécnica: O estudo luminotécnico do novo escritório poderá ser feito pela arquitetura contratada, porém, caberá ao engenheiro eletricista projetar a distribuição do cabeamento, implantação e proteções necessárias.

Infraestrutura e distribuição dos circuitos: : Esta é uma particularidade cuja responsabilidade cabe ao Engenheiro Eletricista. O projeto e aplicação de soluções deverá prever a infraestrutura necessária, dimensionar circuitos e proteções e implementar os quadros de distribuição levando em consideração a NBR 5410 que estabelece as condições mínimas para o perfeito funcionamento de uma instalação elétrica de baixa tensão, garantindo a segurança de pessoas ou animais e a preservação dos bens.

Também é preciso considerar outras normas complementares, tais como a NR10 que tem como objetivo a segurança e a saúde dos trabalhadores que direta ou indiretamente interajam em instalações elétricas e serviços de eletricidade.

Cabeamento estruturado: Este item atinge diretamente os usuários de Internet, Telefonia, CFTV, controle de acesso e outros. Trata-se das disposições padronizadas de cabos, conectores e meios de transmissão de modo que a infraestrutura seja eficiente e independente de aplicação.

O projetista de cabeamento leva em consideração as diretrizes operacionais passadas pela área de TI do cliente e procura desenvolver uma infraestrutura adequada e aplicação de materiais buscando principalmente atingir uma performance adequada do fluxo de dados e longevidade das instalações com o menor custo de implantação e manutenção ao longo do tempo.

Além das normas internacionais e boas técnicas utilizadas pelo mercado segue a norma brasileira 14.565 que tem como escopo principal, especificar um sistema de cabeamento estruturado para uso nas dependências de um edifício ou um conjunto de edifícios comerciais ou em campus, bem como a infraestrutura de cabeamento estruturado de Data Centers, abrangendo o cabeamento metálico e óptico.

 

 

3. Que tipo de mobiliário devo adquirir:

Mobiliário técnico: Especificar o novo mobiliário é um dos papéis do arquiteto contratado, para defini-lo deverá levar em consideração além das questões econômicas adequadas ao projeto do cliente, a ergonomia, saúde e bem estar dos usuários.

Alguns aspectos também são relevantes na seleção e decisão do mobiliário, deve-se levar em consideração a resistência e qualidade dos acabamentos de modo que permitam realocação, desmontagens e remontagens sem comprometer a estrutura inicialmente instalada.

Deve ter calhas devidamente dimensionadas para passagem e acomodação do cabeamento de dados e elétrica permitindo uma taxa de ocupação de no máximo 40% e raios de curvatura que não comprometam a performance.

É necessário possuir caixas de conectividade adequadas ao usuário para lógica e elétrica para que durante o uso seja fácil as conexões e desconexões e não fiquem com aquela "macarronada" de cabos aparentes que poluem o ambiente do usuário.

Assentos: Devemos imaginar que o usuário passará 90% da sua jornada diária sentado na sua cadeira de trabalho. Sendo assim, a escolha dos assentos é de extrema importância e deve ser priorizada em um processo de compra. É primordial a qualidade do mecanismo, da espuma e do revestimento, prefira assentos de tecido que auxiliam na transpiração do corpo em longos períodos de uso.

A cadeira do posto de trabalho deve ser giratória, ter braços com regulagem de altura, rodízios, altura regulável do assento e mecanismo de relax, assim vai se adaptar a cada usuário.

Mobiliário decorativo: Beleza, praticidade e resistência a realocações são fatores importantes na decisão.

 

 

4. Vou precisar de consultoria técnica?

Um estudo técnico relativo à sua mudança pode ser feito pelo escalão superior de sua empresa, porém, uma consultoria especializada poderá fazer um relatório pormenorizado dentro dos objetivos a serem alcançados, prevendo e definindo detalhes técnicos necessários ao sucesso da sua mudança, para empresas onde não podem ocorrer quaisquer falhas é recomendável.

 

 

5. Quais sequências devo seguir para ter sucesso nesta empreitada?

a. Estudo das necessidades; b. Estudo de viabilidade; c. Contratar consultoria técnica (poderá ser a arquitetura); d. Fechar contrato de locação da nova sede; e. Contratar arquitetura; f. Solicitar e aprovar projetos técnicos de arquitetura e complementares (recomendável reunião técnica com gerentes de TI e colaboradores envolvidos); g. Contratar engenheiros e demais fornecedores (agendar e gerenciar reuniões técnicas de alinhamento); h. Elaborar cronograma físico e financeiro; i. Adquirir mobiliário técnico e decorativo e demais ativos; j. Acompanhar cronograma físico, prever e corrigir desvios; k. Contratar links principais e redundantes; l. Planejar a data de mudança; m. Comunicar e planejar a entrega do imóvel atual; n. Fiscalizar a entrega de móveis e ativações; o. Contratar equipe de mudança; p. MUDAR! q. Exigir acompanhamento técnico durante e depois da mudança; r. Exigir relatórios de ativação; s. Programar plantão de fornecedores no 1º dia de ocupação, principalmente elétrica e dados; t. Solicitar as built e ART dos projetos implantados, com memorial técnico e termos de garantia.

 

 

6. Mudei, e agora? Os colaboradores querem alterações, como proceder?

Durante a fase de projetos é sempre difícil aos usuários e gestores terem 100% de certeza do que vão receber e se tudo está conforme as expectativas, então, como toda e qualquer obra, após a entrega há alguma solicitação de adequação e mudança, seja para atender a logística empresarial ou necessidade dos usuários.

Tais mudanças deverão ser discutidas e planejadas com a arquitetura contratada para viabilizar custos e atividades. Para minimizar e evitar estes problemas é conveniente que os parâmetros sejam discutidos e aprovados previamente. A nossa experiência em projetos realizados mostra que ao longo do primeiro ano é possível que o projeto sofra em média até 15% de alterações.

Também é comum haver a necessidade de instalar equipamentos após a ativação e um dos aspectos relevantes é a existência de disponibilidade ou não de carga nos quadros de distribuição.

Na elaboração dos projetos elétricos, muitas vezes são considerados o consumo nominal dos equipamentos e um fator de simultaneidade que ajusta as cargas projetadas ao disponibilizado pela concessionária de energia.

Recomendamos então, que logo no início das operações do cliente, seja feito um relatório de qualidade de energia, instalando por um período médio de 7 dias um aparelho no quadro principal (QDG) que fará uma análise da demanda, picos e quedas de tensão, consumo, corrente, etc.

Os relatórios emitidos pelo equipamento serão utilizados para decisões futuras e novas implementações com a segurança de não ultrapassar o limite de carga permitido.

 

 


 

 

Por Aparecido C. da Silva – Engº Eletricista Dir. Técnico – Tecnolan Cabeamento de Redes Ltda